Busca

Reginaldo Barduzzi – Palestrante

Palestras,Vídeos, Formação em vendas, Negócios on line, Audio Books…..

mês

abril 2017

Exercícios para melhorar a Memória e a Concentração

2 a imagens para youtbe
Dr. Arthur Frazão – Clínico geral

Os exercícios para memória são muito úteis para quem quer manter o cérebro ativo e eficaz. Estes servem para aumentar a capacidade de armazenar as informações e incluem:

  • Jogo das diferenças;
  • Fazer sudoku, caça palavras, dominó ou palavras cruzadas;
  • Montar um quebra-cabeças;
  • Ler um livro ou assistir um filme e depois contar para alguém;
  • Fazer uma lista de compras, mas evitar utilizá-la durante as compras;
  • Tomar banho de olhos fechados e tentar lembrar o local das coisas;
  • Fazer atividades estimulantes, como teatro ou dança;
  • Fazer um curso numa área de interesse, como pintura, jardinagem ou línguas.

Além disso, para aumentar o efeito dos exercícios os indivíduos, deve-se comer alimentos ricos em magnésio, vitamina E e ômega 3, como peixe, nozes, suco de laranja ou banana.

2 imagens para youtbe

Quando o cérebro não é estimulado, o indivíduo tem maior probabilidade de esquecimentos e de desenvolver problemas de memória devido ao seu cérebro ser “preguiçoso” e não agir com a rapidez e agilidade que deveria.

Exercício para memória e concentração

Para fazer este exercício para memória e concentração você deve observar os elementos da lista, durante 30 segundos, e tentar decorá-los:

amarelo televisão praia
dinheiro celular linguiça
papel chá Londres

A seguir, olhe para a próxima lista e encontre os nomes que foram alterados:

amarelo confusão mar
dinheiro celular linguiça
folha caneca Paris

Os termos errados da última lista são: Confusão, Mar, Folha, Caneca e Paris. Se identificou todas as alterações, sua memória está boa, mas deve continuar a fazer outros exercícios para manter seu cérebro em forma. Se não encontrou as respostas certas poderá fazer mais exercícios para memória e avaliar com um médico a possibilidade de tomar um remédio para memória, mas uma boa forma de melhorar a memória é comer alimentos ricos em ômega 3. Veja: Ômega 3 melhora a aprendizagem.

Teste sua memória agora

Faça o teste rápido a seguir e veja como está a sua memória e nível de concentração:

https://www.tuasaude.com/exercicios-para-memoria/

Anúncios

10 estratégias para Melhorar a Concentração na escola ou no trabalho

2 imagens para youtbePara melhorar a concentração e a memória é importante que, além da alimentação e atividade física, o cérebro seja exercitado. Algumas atitudes que podem ser tomadas para melhorar a concentração e a performance cerebral incluem:

  1. Fazer pausas durante o dia, pois isto ajuda o cérebro a consolidar e a armazenar as informações, aumentando a concentração;
  2. Beber um copo da vitamina de beterraba, pois ela estimula a circulação e o metabolismo, melhorando a concentração. Para fazer esta vitamina, basta colocar 1/2 beterraba e 1 laranja descascada na centrífuga e depois misturar 1/2 colher de chá de óleo de linhaça e 1/2 colher de chá de alga do tipo nori em flocos;
  3. Aumentar o consumo de alimentos ricos em ômega 3, como sementes de chia, nozes ou sementes de linhaça, acrescentando em saladas, na sopa ou no iogurte, pois estes alimentos ajudam no funcionamento do cérebro, melhorando a concentração e a memória;
  4. Aumentar o consumo de alimentos ricos em magnésio,como sementes de abóbora, amêndoas, avelãs e castanha-do-pará, pois melhoram o funcionamento do cérebro e alimentos ricos em ferro, como costeletas de porco, vitela, peixe, pão, grão-de-bico ou lentilha, pois melhoram a circulação sanguínea, aumentando a oxigenação do cérebro;
  5. Evitar alimentos de difícil digestão ao almoço para estar mais concentrado durante a tarde;
  6. Ter sempre um bloco de anotações por perto para anotar qualquer ideia que quebre o pensamento ou tarefa que tenha que fazer mais tarde, para manter o cérebro concentrado no que se está fazendo;5
  7. Praticar uma atividade física regularmente, como caminhadas, corrida ou natação para manter o sangue circulando e o cérebro cheio de oxigênio e nutrientes;
  8. Ouvir música instrumental enquanto trabalha ou estuda porque isso facilita a comunicação entre os trabalhadores, fomentam a criatividade e criam um ambiente mais relaxado para as atividades do dia a dia;
  9. Fazer jogos estimulantes para o cérebro: É essencial treinar o cérebro com jogos de Sudoku, fazendo quebra-cabeças, palavra cruzada ou ver imagens ou fotografias já conhecidas de cabeça para baixo;
  10. Usar menos as redes sociais porque estes estímulos constantes dificultam a concentração. Este tipo de equipamento electrónico só deve ser usado nos intervalos do trabalho e da escola, por exemplo.

artigo extraído deste site https://www.tuasaude.com/como-melhorar-a-memoria/

  1. InstagramCapture_0e401e53-1fab-4067-9e13-2b5824ecfb6c

Consultor imobiliário: 4 erros fatais ao telefone.

as

Que o seu cliente lhe atenda com toda atenção e dedicação de tempo suficiente para uma boa conversa: este é um desejo que está no imaginário de todo Consultor imobiliário que utiliza o telefone como uma ferramenta propulsora de novos atendimentos.

Realidade? Nem sempre! Talvez seja por isso que muitos profissionais da intermediação imobiliária hesitem na hora de pegar o telefone para fazer aquilo que classifico como “chamada de atração”, que é quando você entra em contato com o seu prospect sem que o mesmo esteja esperando a sua ligação.

Esta estratégia, de fato, não é simples, e exige a preparação do Consultor imobiliário

.  A sua aplicação funciona como alicerce para novos e bem sucedidos negócios e o resultado dependerá das atitudes que você tomará antes de pegar no “gancho” para fazer a sua “chamada de atração”.

Aqui, quero chamar atenção sobre a principal função do atendimento telefônico. Seu objetivo não é a venda de fato, mas a conquista do cliente a fim de que ele lhe conceda a oportunidade de uma visita para que você apresente a sua proposta/empreendimento e assim pavimente o caminho para a venda do imóvel. Falei mais sobre isto em outro post, clique aqui e aprofunde esta reflexão.

Neste sentido, a forma como você se apresenta em sua “chamada de atração” é preponderante para o triunfo da sua estratégia e é exatamente nas frases de aberturas que se encontram os 4 erros fatais que podem arruinar o seu desempenho ao telefone e que compartilho agora com você.

  1. “Desculpe incomodá-lo, mas…”

Perceba a carga simbólica que esta frase traz consigo: Você está levando algum problema para o seu futuro cliente? O que você irá oferecer é algo que trará prejuízo a ele?

Se as respostas forem NÃO, por que, então, você o leva a pensar que  estará  “incomodando”?

Iniciar o  relacionamento deste modo é sentenciar o seu fracasso, afinal, ninguém gosta de ser incomodado.

  1. “Pode falar comigo agora?”

NUNCA, eu disse NUNCA inicie o seu relacionamento aumentando a  probabilidade de receber um “Não”. Se o cliente lhe atendeu, é porque naquele momento ele está apto a falar, e se ele realmente não tiver interesse ou não puder conversar com você naquele determinado momento, esta informação ocorrerá de uma forma natural. Portanto, não induza o seu cliente a uma situação de rejeição.

  1. “Tudo bem?”

Normalmente, a expressão “tudo bem?” é utilizada quando você já tem certo grau de relacionamento com a pessoa e, apesar de parecer uma forma mais próxima de iniciar um contato, neste primeiro momento o ideal é manter a formalidade. Diga apenas bom dia, boa tarde ou boa noite.

Não faça perguntas para seu cliente que deem margem à criação de uma “intimidade forçada”!

Não faça perguntas que deem margem à criação de uma “intimidade forçada”. Você não conhece o cliente, não sabe como ele está se sentido naquele momento e esta pergunta pode gerar um desconforto, pois o cliente pode não estar bem.

Além disso, a utilização desta expressão pode transmitir falsidade, pois o seu principal objetivo não é saber como a pessoa realmente está, mas a consolidação de um negócio.

  1. “Já conhece a nossa imobiliária/e nossa consultadoria?”

Eis aí uma boa oportunidade para o seu cliente mais uma vez dizer “não”. Esqueça isso! Você pode apresentar resumidamente a empresa que representa sem, necessariamente, perguntar ao cliente se ele a conhece.

Esses quatro erros fatais podem ser evitados por meio da criação de um bom script, ou seja, um roteiro para sua “chamada de atração”. Isso, contudo, não quer dizer que seu desempenho deva ser mecanizado ou engessado. O script, na realidade, lhe dará um caminho para sua atuação.

Esse planejamento prévio deve conter os pontos chaves que serão destacados para o cliente. Ele lhe permitirá uma preparação mais adequada para responder  possíveis dúvidas do cliente, lhe dará condições de pensar melhor sobre suas falas de abertura para que não ocorram os erros fatais que foram elencados acima.

Este script deve, ainda, levantar indicativos que despertem o interesse do cliente e o estimule a continuar a conversa para que ele, finalmente, aceite a proposta  do encontro.

A elaboração deste roteiro precisa também levar em consideração o perfil do cliente que você irá contactar. Apesar de ter uma linha mestra que conduz a sua apresentação, é importante projetar as especificidades de cada atendimento. Hoje, temos recursos que nos permitem fazer um breve levantamento do perfil do cliente por meio das redes sociais ou de outros mecanismos de pesquisa que nos levem a ligações mais assertivas.

Diante disso, deve ficar claro que o improviso não se aplica aos consultores de sucesso. Costumo brincar que quem improvisa é o repentista. Porém, o improviso, neste caso, é a sua maior arte e o repentista a desenvolve com excelência. E é exatamente esta excelência que o Consultor imobiliário deve conquistar. “por Guilherme Machado”

Material produzido por: Guilherme Machado   Corretor de Imóveis, Palestrante, Coach, Mestrando em Neuromarketing pela FCU - Florida Christian University/EUA. Especialista em vendas, liderança e negociação com certificação pela University of Michigan/EUA. Com mais de 18 anos de vendas, já transformou mais de 1,5 milhões de profissionais no Brasil com seus cursos, vídeos e palestras. 

Faro é a melhor cidade do Algarve para viver e investir, Albufeira é a melhor para visitar

Faro é a melhor cidade do Algarve para viver e investir e Albufeira é a melhor para visitar, de acordo com o Portugal City Brand Ranking/2017, elaborado pela Bloom Consulting. Por  

Este ranking avalia e classifica os municípios portugueses de acordo com a sua performance nas vertentes de Investimento (Negócios), Turismo (Visitar) e Talento (Viver) e também a sua digital demand e desempenho online.

Criada em 2003, a Bloom Consulting é uma consultora especializada em “Country”, “Region” e “City” branding, analisando e desenvolvendo estratégias, análises e ferramentas de medição para destinos por todo o mundo. A empresa tem sede em Madrid e escritórios em Lisboa e São Paulo.

Somando os três indicadores, Faro, a nível nacional, ocupa o 9º lugar entre os 308 municípios portugueses. A capital algarvia subiu quatro posições em relação ao ano passado e regressou ao top 10 nacional, algo que não acontecia desde 2014. Segundo a Bloom Consulting, a capital algarvia «apresentou subidas em praticamente todas as variáveis».

Faro ocupa, a nível nacional, o 11º lugar nos indicadores de Investimento e de Turismo e o 17º no indicador que avalia a qualidade de vida e a mão de obra disponível.

No top 25 deste ranking, surgem mais dois concelhos algarvios: Albufeira, no 17º lugar, e Portimão, no 19º posto.

Festival-Estoril-Lisboa_2_660x371

A cidade albufeirense destaca-se no indicador de Turismo, uma vez que ocupa o quarto lugar, a nível nacional, nesta categoria, e o primeiro a nível regional. «A consistência de resultados ao longo dos anos mostra o potencial deste município para competir nacional e internacionalmente neste âmbito», diz a empresa responsável pelo estudo.Albufeira_12-768x511

Já na vertente de investimento, Albufeira surge no 17º lugar e, na qualidade de vida/mão de obra, Albufeira consegue apenas a 37ª melhor classificação, entre os 308 municípios nacionais.

Mais bem classificada, neste indicador, ficou Portimão, que subiu seis posições em relação ao ano passado, e atingiu 25º lugar a nível nacional. Ao nível do Turismo, a cidade portimonense fica pouco atrás de Albufeira, no quinto posto, mas é penalizada nos negócios, em que ocupa o 27º lugar.

Ao nível da região, segundo a Bloom Consulting, «vemos um aumento geral na prestação dos municípios, com as pontuações médias a subirem substancialmente nas dimensões de Negócios e Talento».

Portimão-768x512

Ainda assim, «apesar da boa prestação estatística, uma descida na quota regional no Digital Demand – D2©, nas redes sociais e ainda no “Web Analytics” são fatores menos positivos na média regional», acrescenta a empresa.

faro

Os três primeiros classificados do ranking, no Algarve, refletem as classificações a nível nacional, ou seja, Faro no primeiro lugar, Albufeira no segundo e Portimão no terceiro.

Loulé ocupa o quarto lugar a nível regional, subiu duas posições, e ficou “à porta” do top25 nacional, tendo conquistado o 27º posto na média dos três variáveis em avaliação.

No quinto lugar no Algarve, surge Tavira (31º no país), que perdeu um lugar, e, no sexto, Lagos (39º), que também caiu uma posição.

Silves (71º) manteve o sétimo lugar do ano passado e Vila Real de Santo António (73º) ascendeu à metade superior da tabela regional, por troca com Olhão (75º), que caiu para o nono lugar.

No top100 nacional, há mais um município algarvio: Aljezur, que ocupa o 10º lugar ao nível do Algarve. No 11º posto, está Lagoa, que se classificou, ao nível do país, no 125º lugar.

Castro Marim subiu uma posição no ranking regional desde o ano passado e está no 12º lugar, tendo ultrapassado Vila do Bispo. A nível nacional, estes dois concelhos estão bem próximos: Castro Marim no 145º posto e Vila do Bispo no 146º.

Monchique surge pouco abaixo, no 155º lugar nacional, e ocupa o 14º posto no Algarve.

São Brás de Alportel e Alcoutim foram os municípios que obtiveram piores classificações no ranking da Boom Consulting e nem figuram nos 200 primeiros a nível nacional. São Brás de Alportel ficou no 238º lugar e Alcoutim no 257º, entre os 308 municípios de Portugal e ilhas.

 

Veja o ranking regional:

Ranking-Regional-Algarve-520x441

O Top 25 nacional:Top-25-Melhor-sitio-viver-2017-768x928

 

Por

 

Quais são os principais factores que influenciam na decisão de compra do imóvel?

1ad45O processo de decisão de compra de um imóvel sempre abrange uma série de questões. Afinal, é preciso considerar necessidades, expectativas, facilidades e, claro, o próprio perfil do consumidor.

Por isso, para melhorar o índice de transacções bem-sucedidas da imobiliária e transformar as objecções em vendas, é fundamental que o corretor conheça os principais factores que influenciam directamente a escolha do cliente. E, dentre esses factores, estão:

Diapositivo4

1. Localização

A localização é, sem dúvida, um dos itens de maior peso durante a fase de avaliação. Ou seja, além do imóvel apresentar todas as características desejadas, é preciso que esteja em uma região de conforto para esse cliente — que, em geral, engloba o trabalho e a escola dos filhos, além de centros comerciais, de serviços de saúde, de parques e alternativas de transporte público, como metro e terminais de auto-carros.

2. Preço e condição de pagamento

Outros dois pontos são determinantes na decisão de compra: o preço e a condição de pagamento. Vale lembrar que os imóveis representam um enorme investimento e, normalmente, as prestações comprometem boa parte da renda familiar.

Por isso, as linhas de crédito são indispensáveis para a assinatura do contrato, de modo a evitar o endividamento exagerado e até mesmo a renda familiar.

3. Metragem

A metragem também é levada em consideração e costuma ser analisada em conjunto com a localização, com o preço final e com o número de quartos. Actualmente, é possível verificar a tendência de apartamentos pequenos, mas, nesses casos, o espaço pode ser muito bem aproveitado por meio de soluções de engenharia, arquitetura e decoração.

4. Acabamento

O acabamento é mais um aspecto muito importante para a decisão de compra. As condições gerais — que envolvem pintura, piso, louças, mobiliário e azulejos — são ainda mais relevantes em imóveis usados. Entretanto, quando o empreendimento está na planta, o cuidado deve ser o mesmo para que não haja descontentamentos e conflitos futuros.

5. Vagas de garagem

As vagas de garagem também influenciam o cliente, principalmente quando a família possui dois ou mais veículos. Esse item costuma ser eliminatório em algumas situações.

6. Opções de lazer e proximidades

As opções de lazer podem ser cruciais para prédios e principalmente para condomínios residenciais. Nesse caso, algumas facilidades são muito bem-vindas, como salão de festas, área para churrasco, piscinas adulto e infantil, brinquedoteca, quadra para prática de esportes e ginásio nas proximidades.

Assim, o cliente pode ter mais comodidade e qualidade de vida, sem precisar sair de casa. Porém, é preciso mencionar que todas essas vantagens têm um custo mensal que precisa ser somado a prestação do imóvel.

Com base nessas informações, cabe ao seu consultor imobiliário I@D conhecer o seu público-alvo e actuar mesmo como um consultor, oferecendo as oportunidades que mais se enquadrem às preferências e exigências de cada potencial cliente, agilizando a decisão de compra.

Diapositivo2

Diapositivo2

 

 

Os 30 melhores países do mundo para se viver em 2017

Image result for Os 30 melhores países do mundo para se viver em 2017

Pesquisa de opinião ouviu mais de 20 mil pessoas em todo mundo e publicou seu ranking anual com base na percepção dos entrevistados

Qual é o melhor país do mundo? O U.S. News & World Report, junto com a Y&R’s BAV Consulting e a Wharton School da Universidade da Pensilvânia, publicaram nesta terça-feira (07/03) o seu ranking anual dos melhores países do mundo, montado com base em pesquisas de opinião, e o topo da lista é ocupado pela Suíça.

A pesquisa entrevistou 21 mil pessoas que os organizadores descrevem como “líderes de negócios, elites informadas e cidadãos comuns” que deram nota a dezenas de critérios que lhes foram apresentados. O ranking geral é a média desses critérios.

Na edição de 2017, parecem ter ganho destaque países que vivem em relativa paz, tranquilidade e prosperidade. Junto com a Suíça, estão no top 5 o Canadá, o Reino Unido, a Alemanha (nº 1 em 2016) e o Japão. O ranking geral segue uma “performance global que envolve várias métricas”. O Brasil está em 28º.

Também foram divulgados nove rankings temáticos, avaliando quesitos como qualidade de vida, empreendedorismo, poder e influência cultural. No ranking “Aventura”, que lista destinos turísticos, o Brasil aparece em primeiro. Confira os rankings:

Ranking geral

  1. Suíça
  2. Canadá
  3. Reino Unido
  4. Alemanha
  5. Japão
  6. Suécia
  7. EUA
  8. Austrália
  9. França
  10. Noruega
  11. Holanda
  12. Dinamarca
  13. Finlândia
  14. Nova Zelândia
  15. Singapura
  16. Itália
  17. Luxemburgo
  18. Áustria
  19. Espanha
  20. China
  21. Irlanda
  22. Emirados Árabes Unidos
  23. Coreia do Sul
  24. Portugal

  25. Índia
  26. Tailândia
  27. Rússia
  28. Brasil
  29. Grécia
  30. Israel

Qualidade de vida é o método utilizado para medir as condições de vida de um ser humano ou é o conjunto de condições que contribuem para o bem físico e espiritual dos indivíduos em sociedade. Envolve o bem espiritual, físico, psicológico e emocional; além de relacionamentos sociais [1] [2]; saúde, educação, poder de compra, habitação, saneamento básico e outras circunstâncias da vida.[carece de fontes] Não deve ser confundida com padrão de vida, uma medida que quantifica a qualidade e quantidade de bens e serviços disponíveis.

Avaliação:

A Organização Mundial da Saúde desenvolveu um questionário para aferir a qualidade de vida, que possui duas versões validadas para o português, o 100 (composto por 100 questões) e o composto por 26 questões.

É composto por seis domínios: o físico, o psicológico, o do nível de independência, o das relações sociais, o do meio ambiente e o dos aspectos religiosos.

Empreendedorismo (países inovadores com cidadãos empreendedores)

  1. Alemanha
  2. Japão
  3. EUA
  4. Reino Unido
  5. Suíça

Melhores países para viver e se aposentar

we

O melhor lugar para trabalhar, não necessariamente é o melhor lugar para se aposentar. Segundo a matéria do Huffington Post, em 2016 o Algarve, em Portugal, é um dos melhores lugares para quem deseja ter uma vida calma após anos de esforço. Isso por causa do baixo custo de vida, pelo ótimo clima (tanto que Portugal inteiro e muitos turistas correm para lá durante o verão), e facilidade também em encontrar outros emigrantes, essencialmente da Inglaterra. Sobre Portugal em si, é um local interessante para quem já tem alguma garantia financeira e apenas procura um local barato para estar, já que é um dos países mais baratos da Europa Ocidental.

Após o Algarve, o Huffington Post elegeu destinos talvez menos pensados na hora de se aposentar. São eles Cayo (Belize), Meledin (Colômbia), Pau (França), Abruzzo (Itália), George Town (Malásia), Las Terrenas (República Dominicana), Cuenca (Equador), Chiang Mai (Tailândia), Puerto Vallarta (Mexico), Granada (Nicarágua) e Panama City Beach (Panamá). A justificativa da escolha de cada um dos lugares, alguns mais inesperados que outros, pode ser vista no original, em inglês.

curtir noss pagina

numero 1 – Austrália

Sidney, na Austrália Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
O país manteve a primeira posição na pesquisa da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que elege os países com maior qualidade de vida, seguindo 11 diferentes critérios que considera essenciais para uma vida feliz.

2- Suécia

Verão em Gotemburgo, na Suécia Foto: Eduardo Maia / Agência O Globo
Foto: Eduardo Maia / Agência O Globo
O país ultrapassou a Noruega e alcançou o segundo lugar. Ele está no topo em qualidade do meio ambiente, equilíbrio entre trabalho e lazer, satisfação com a vida, saúde e educação.

3- Noruega

Ruas do centro de Oslo, na Noruega Foto: Luisa Valle / Agência O Globo
Foto: Luisa Valle / Agência O Globo
País caiu da segunda para a terceira posição no ranking da OCDE. Para analisar quem está no topo, a organização depende de dados subjetivos, como satisfação com a vida e igualdade.

4- Suíça

A cidade histórica de Berna, capital da Suíça Foto: Eduardo Maia / Agência O Globo
Foto: Eduardo Maia / Agência O Globo
A Suíça está em quarto no ranking geral, mas está perto do topo no que diz respeito a empregs, saúde e satisfação com a vida. É o país com a segunda maior renda por domicílio, de acordo com o índice. Só fica atrás dos Estados Unidos.

5-Dinamarca

Rosklide, na Dinamarca Foto: Agência O Globo
Foto: Agência O Globo
O país em quinto lugar na lista detém o recorde de equilíbrio entre trabalho e lazer e felicidade em geral. Os dinamarqueses também estão mais satisfeitos com a própria vida que a média dos países analisados.

6-Canadá

Stanley Park, em Vancouver, no Canadá. Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo
Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo
Os pesquisadores da OCDE utilizam ferramentas interativas para analisar a qualidade de vida, diz matéria da CNN Money que publicou a pesquisa. Pelas métricas, o Canadá está em sexto, com notas acima da média em todos os quesitos.

7-Estados Unidos

A vista de Nova York a partir do One World Building Foto: Bebeto Matthews / AP
Foto: Bebeto Matthews / AP
No ranking da OCDE, os Estados Unidos estão no topo em renda e moradia, mas é apenas mediano em educação, meio ambiente, segurança e equilíbro entre trabalho e lazer. No total, acaba ficando em sétimo.

8- Nova Zelândia

Cidade de Queenstown, na Nova Zelândia, vista a partir de teleférico Foto: Carlos Albuquerque / Agência O Globo
Foto: Carlos Albuquerque / Agência O Globo
Os moradores da Nova Zelândia são os mais saudáveis do mundo desenvolvido, com 90% dos entrevistados afirmando estar em boas condições de saúde. No país, que ficou em oitavo, as pessoas vivem em média até os 82 anos.

9-Islândia

Cidade de Reykjavik, na Islândia Foto: Ricardo Largman / Agência O GloboFoto: Ricardo Largman / Agência O Globo
Em nona posição na pesquisa, a Islândia conta com baixa taxa de desemprego, bom nível de renda e trabalhadores com estabilidade no emprego.

10-Filândia

Barcos em Helsinki, na Finlândia Foto: Cora Rónai / Agência O Globo
Foto: Cora Rónai / Agência O Globo
O país está em décimo lugar, mas ocupa o topo do ranking no que diz respeito a educação da população, um indicador que está entre os mais valorizados pela OCDE.

 

Portugal! O país foi classificado na 19.ª posição em qualidade de vida (em 2005),

Portugal é um país desenvolvido,[17] com um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) considerado como muito elevado. O país foi classificado na 19.ª posição em qualidade de vida (em 2005),[18] tem um dos melhores sistemas de saúde do planeta e é, também, uma das nações mais globalizadas e pacíficas do mundo.[19] É membro da Organização das Nações Unidas (ONU), da União Europeia (incluindo a Zona Euro e o Espaço Schengen), da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Portugal também participa em diversas missões de manutenção de paz das Nações Unidas.

Barduzzi, porque I@D?

Diapositivo4.JPG

Quantas vezes já foste PAGO por fazer uma recomendação?

APRESENTAÇÃO I@D PORTUGAL

Criada em França, em maio de 2008, por Malik Benrejdal, Jérôme Chabin e Sébastien Caille, a I@D é hoje a maior rede de consultores imobiliários no país, com milhares de consultores distribuídos pelo território francês, como também em Portugal e muito breve em outros países.

Foi numa garagem que nasceu a vontade de criar uma rede imobiliária plenamente inovadora, com o intuito de dar um acompanhamento de proximidade aos clientes que queiram vender, arrendar ou adquirir um imóvel, garantindo uma divulgação online sem igual, revalorizando simultaneamente a profissão de consultor imobiliário.

O conceito I@D assenta, deste modo, em três pilares fundamentais: – O Imobiliário: os fundadores da I@D France são todos provenientes do setor imobiliário;

– A Web: desmaterializar as agências para propor um serviço mais competitivo ao cliente e proporcionar um ambiente de trabalho otimizado para os consultores; –

O Marketing de Rede: criar uma rede dinâmica de proximidade, com base na partilha e na liberdade de cada consultor poder fazer evoluir a sua carreira.

Em Junho de 2015, a I@D deu os primeiros passos na sua internacionalização com o nascimento da I@D Portugal. Vincent Morin assume hoje a presidência da empresa, partilhando a administração com outros três profundos conhecedores do setor imobiliário que integram a I@D France praticamente desde a sua fundação:

Bryan Longet, Tony Ferreira (luso-descendente) e Kader Mouloudji. Entre os fundadores da I@D Portugal encontram-se ainda Pedro Pimenta, empresário que há mais de uma década vê reconhecido o seu sucesso no domínio das novas tecnologias, e Joël Pereira, que atualmente se afirma em França como um dos melhores ROC da sua geração.

Seis mentes brilhantes que se uniram para trazer este inovador projeto para Portugal, que tem vindo a registar um crescimento absolutamente notável desde então.

Quantas vezes já foi PAGO por recomendar algo?

NosRezo faz parte da I@D em paralelo, é uma aplicação gratuita que lhe permite fazer recomendações imobiliárias em Portugal e França, muito breve em Espanha e Itália

E somos recompensados por isto

Esta aplicação é grátis é para todos particulares e profissionais

Agora ja tem a oportunidade de ser legalmente intermediário de negócios profissionais

Nosrezo é uma aplicação gratuita que aumenta seus rendimentos

Diapositivo2

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑